25.03.2018, 18:35:17 / #wsf2018

Resistir, construir, lutar

Von Peter Steiniger
O movimento mundial contra a globalização neoliberal comprovou que pode continuar a impulsionar

E, também terminou o Fórum Social Mundial na capital baiana. 19 horas me separam ainda de Berlim, ao embarcar, domingo à tarde, no avião da Azul Linhas Aéreas Brasileiras no Aeroporto de Salvador. Infelizmente, a companhia aérea não é patrocina este blog, mas o nome dela é tão legal. E, linda é também a cidade da Bahia de Todos os Santos, no Nordeste Brasileiro e a qual merece mais atenção do que eu pude dar-lhe durante os únicos cinco dias da minha estadia. Não é fácil dizer adeus ao seu povo caloroso.

Enquanto aguardava o voo para Belo Horizonte, no interior do Brasil – de lá é que começo o regresso ao outro lado do grande charco – um passageiro que reparara no logo do junge Welt no meu computador fala comigo. Albert Lieberg se apresenta para mim e conta que também veio a Salvador para o Fórum Social Mundial e que participou de um evento lá. Sobre como unir forças para uma mudança do sistema. "A mudança de sistema" é também o nome do livro de Lieberg. Apenas alguns dias atrás, tinha tido um anúncio em nosso jornal. Então, por que não um pequeno acréscimo. ”Utopia ou necessidade existencial?” É o subtítulo da obra. Eu aposto em necessidade existencial, então.

O Conselho Internacional do Fórum Social Mundial ainda se reúne no final de semana, mas não é cedo para uma primeira conclusão. Salvador foi um verdadeiro ‘Comeback’. O movimento mundial contra a globalização neoliberal comprovou que pode continuar a impulsionar. Participaram cerca de 1.500 grupos e organizações oriundos principalmente dos países da América Latina, Ásia e África.

A esquerda brasileira utilizou o Fórum Social Mundial como a plataforma para as atuais lutas no país e como teste à sua própria força. Apesar da situação complicada após a mudança de poder em 2016, Salvador correspondeu às expetativas.

Com certeza irão ainda aparecer aqui alguns suplementos sobre o Fórum em Salvador. O meu obrigado vais desde já para todos os que prestaram atenção a este Blog, ou que de alguma forma contribuíram para isso. À redação da casa, e especialmente ao meu colega André Scheer, que dirige nosso departamento de política externa e cujo coração bate por outra América. O mesmo se aplica a Jörg Tiedjen que se fez as correções, e a Roland Wagner que se ocupou das publicações no Twitter e Facebook. Para as pessoas diligentes que se ocupam da nossa campanha de forma a que o junge Welt ganhe mais leitoras e leitores.

Nas páginas web das organizações que contribuíram para o blog pode, ainda, encontrar mais informações sobre o FSM 218 e os eventos realizados pelas organizações da Alemanha e Suíça e demais parceiros. Queremos a mesma coisa: criar um público mais amplo para o Fórum Social Mundial e para as questões importantes lá debatidas. Envio um enorme abraço a todos os novos amigos e amigas de Salvador.

Tradução: Elisa Bogalheiro

Die deutsche Fassung des Beitrages finden Sie hier.

Das junge Welt-Sommerabo

Lesen Sie drei Monate die gedruckte Ausgabe der Tageszeitung junge Welt! Das Abo kostet 62 Euro statt 115,20 Euro und endet automatisch, muss also nicht abbestellt werden. Dazu erhalten Sie das Buch »Marx to go« aus dem Verlag Neues Leben. Dieses Angebot ist nur bestellbar bis 24. September 2018.


Lesetip abgeben

Artikel empfehlen: